domingo, 16 de agosto de 2009

Poema-denúncia

Poesia da Tania Marques que tem tudo a ver com o que defendemos: a liberdade de expressão e o fim da dominação midiatica efetuada hoje no Brasil e no mundo pela midia corporativa.


















Fonte da imagem:

worlddy.files.wordpress.com/2009/06/censura1.jpg
artedesign.wordpress.com


Grito por liberdade

de expressão
Censura camuflada
Corruptos abafados
Não deixemos
calar a voz
daqueles que proferem
aos outros
o que a corja
de parasitas
esconde
atrás do
pano

Tânia Marques

Cursos de Esperanto...

Por indicação do professor Edney Mesquita, estamos indicando alguns cursos de Esperanto, pelo Brasil e pela internet, bem como deixando um link de um programa(aqui) que visa facilitar o aprendizado da lingua. As dicas abaixo foram retiradas do sitio www.esperanto.org.br

Cursos Presenciais no Brasil:

Informações sobre cursos de Esperanto em classe poderão ser obtidas na entidade esperantista da sua cidade ou estado. Para os cursos comunicados à liga, Clique em Cursos de Esperanto (menu principal)

Pela Internet:

  • Curso CER

Curso de Esperanto pela Rede (básico, com monitoria)

http://www.aleph.com.br/kce/cer.htm

CER é o primeiro curso gratuito de Esperanto em português, pela internet, com professores que corrigem as licões e que tem se mantido gratuito ao longo de seus nove anos de existência. É um curso básico que opera no ambiente de sala e ensino virtual a distância criado e mantido pela UNICAMP.

  • Curso de Esperanto de Carlos Pereira

(básico, gratuito, sem monitoria)
http://www.kurso.com.br

Curso básico em apenas 12 Lições. Exercícios de pronúncia e compreensão oral. Músicas MP3 - Aprenda cantando! Exercícios variados, para fixação do conteúdo. Correção dos exercícios de tradução (opcional). Versões - Windows e Linux (em mais de 30 idiomas)

  • LERNU.NET

http://www.lernu.net

Uma opção interessante de aprendizagem na Internet, com muitas ferramentas de ensino. Textos para leitura e uma boa quantidade de exercícios para evoluir no Esperanto.

Outros métodos

  • Curso em fitas de vídeo

A TV Bandeirantes do Rio de Janeiro, no ano 2002, transmitiu o programa Gotas de Esperanto . Trata-se de um curso elaborado e conduzido pelo Prof. Sylla Chaves, constando de 6 fitas. Encomende-o na libroservo da Liga Brasileira de Esperanto.

  • Curso em livro

Para os autodidatas ou para estudo em sala, são indicados os seguintes livros:

  • Esperanto para Principiantes + CD do Professor Aloísio Sartorato;
  • Esperanto sem Mestre de Francisco Valdomiro Lorenz
  • Esperanto Conversacional - Curso básico do Prof. Jair Salles

Há muito mais opções de livros na libroservo da Liga Brasileira de Esperanto

Educação Socialista na Venezuela....

Hugo Chavez promulgou hoje a nova LDB da Venezuela.

Com uma grande assistência de jovens, estudantes, universitários, trabalhadores e cidadãos em geral, o Presidente da Republica Bolivariana da Venezuela promulgou e deu inicio a recem aprovada Lei Organica de Educação(LOE), em uma cerimonia especial desde a sala Rios Reyna do complexo cultural Teatro Teresa Carrenõ.
Em transmissão nacional do sistema de Radio e Televisão Venezuelana, o Chefe de Estado, esteve presente juntamente com a deputada Maria de Queipo, a presidenta da Assembleia Nacional Cilia Flores e o Ministro de Educação Hector Navarro. Veja o video abaixo:


video

Chico Buarque - Paratodos (1993)




download




Créditos: UmQueTenha

A noite dos zumbis da RBS

Quem estará por trás dessa onda alarmista sobre a gripe A??
- A industria que fabrica o tamiflu?
- o PIG(partido da mídia golpista) fazendo associação com o governo Lula?
- O PRBS(partido da RBS) tentando desviar atenção sobre a lama de corrupção que se encontra o (des)governo de YRC??
Veja a matéria do sitio NovaE

Um design sensacionalista, em que rostos desesperados como zumbis surgem em agonia. Desta forma o grupo RBS criou o especial sobre a gripe A, em que o jornalismo como prestação de serviço fica em segundo plano, em nome da disseminação do terror. Nem "O Globo" faria "melhor". Não é só o visual. De cara, a chamada principal revela o tom de todo o hot site. "As mortes no Brasil e nos Estados". Depois, de uma forma macabra, a ficha de cada vítima: nome, internação, contágio, morte e condição de saúde. De arrepiar. A seguir, é um derramar daquilo que já circula na Internet e que está sendo a panaceia dos alarmistas de plantão, do quanto pior, melhor. O sentimento que você tem ao sair do especial RBS é de fim de mundo. Desespero, em que nada você pode fazer senão esperar o próprio fim, sem mesmo aprender alguma coisa. Aliás, um ensinamento transborda de toda esta situação: é nessas ondas que envolvem toda a sociedade que percebemos, mais uma vez, quem sabe ou não fazer jornalismo. (Manoel Fernandes Neto)

Os latifúndios da informação

Do blog Velho Comunista

Traduzido por J.A. Pina/R.Maciel

Na América Latina, alguns grupos e famílias poderosas controlam a mídia, fechando e bloqueando o espaço político e democrático. Uma hegemonia que os governos progressistas eleitos democraticamente querem atacar em profundidade.

No continente latino-americano começou uma mudança política que tenta romper com um passado de submissão às regras impostas por Washington e pelo FMI. Os novos governos têm dado um giro progressista, com moderação, conforme falamos de um grupo mais radical que inclui a Venezuela, Equador, Bolívia, Nicarágua ou países como Brasil, Argentina, Paraguai, Uruguai ou inclusive Honduras.

A oposição reage de maneira diferente segundo os casos, não duvidando às vezes em escolher formas violentas como as tentativas separatistas na Bolívia ou o golpe de Estado em Honduras. A direita tem na imprensa um aliado que suaviza freqüentemente as debilidades de um setor que perdeu sua credibilidade. A direita e grandes grupos de comunicação denunciam censura, ataques à liberdade de expressão quando Rafael Correa no Equador, ou Hugo Chávez na Venezuela nacionalizam uma cadeia de televisão ou quando na Argentina Cristina Fernández propõe uma lei audiovisual que substituiria à herdada da ditadura de 1976. O que ocorre realmente?

A América Latina é a única zona do mundo onde a economia está concentrada nas mãos de um punhado de grupos de operam no agronegócio, na indústria e na informação. No que se refere a esta última, se constata que algumas famílias, Azcárraga, Slim no México, Noble na Argentina, controlam a imprensa escrita, audiovisual, internet, as editoras; em Honduras quatro grupos repartem o espaço informativo, o mesmo ocorre na Colômbia onde opera a família Santos da qual dois de seus membros estão no governo de Álvaro Uribe (um é vice-presidente, o outro deixou a pasta da Defesa para por em marcha sua campanha presidencial para 2010). Este fenômeno deu nascimento à expressão “latifúndios da informação”. Na ausência de legislação clara, a imprensa utiliza meios pouco compatíveis com a ética, ameaçando deste modo inclusive o direito dos cidadãos à informação. No que se refere a Honduras, os telespectadores da América Latina só receberam nos primeiros dias do golpe as imagens da CNN que mostravam manifestações e opiniões favoráveis aos golpistas, antes de ver as reportagens da Telesur criada pelo governo venezuelano como alternativa ao monopólio privado; no entanto, esta última não chega a todos os países.

Na Venezuela, durante o último referendum que modificava a Constituição, um estudo mostra que 76% das informações se inclinavam para o “não” à reforma proposta pelo governo contra 22% favorável ao “sim”, "não", que finalmente ganhará. E recordamos o apoio da mesma imprensa ao golpe de Estado contra o presidente Chávez em 2002. Na Bolívia, a imprensa escrita em sua quase totalidade apóia à oposição representada pelos grandes proprietários de terras do leste, que tentam impor a divisão do país. No Peru, durante as eleições presidenciais, a maioria da imprensa apoiou no primeiro turno aos candidatos da direita antes de apoiar ao socialdemocrata Alan García no segundo turno contra o candidato indigenista que lembrava a Evo Morales ou a Rafael Correa. Na Argentina, a imprensa escrita e audiovisual que pertence 85% aos grupos privados foi a ponta de lança da oligarquia agrária desejosa de baixar as taxas de exportação, durante o conflito que opunha este setor ao governo. E se recordará o papel representado no passado pelo Mercurio no Chile em 1973, incitando e apoiando o golpe de Estado do general Pinochet.

Em resposta, Rafael Correa propõe a criação de um organismo de controle que permita proteger o direito à informação do cidadão. Convém precisar quais seriam suas atribuições e seu campo de ação. No Paraguai, o presidente Lugo criou a primeira agencia nacional de imprensa como contraponto aos meios privados.

Estes fatos traduzem a inquietude dos governantes eleitos democraticamente, que recorrem seguidamente ao referendum popular, cuja política é, no entanto, posta em julgamento por um poder não eleito que extrai sua legitimidade de seu domínio nas esferas da informação. Estes grandes grupos de imprensa denunciam ataques à liberdade de expressão, recebendo freqüentemente o apoio de seus colegas europeus, quando se burla o direito a uma liberdade de expressão minimamente equilibrada que estes meios violam na ausência de qualquer organismo de regulamentação.

Todo-poderosos até hoje, os latifúndios da informação se encontram em oposição á vontade de governos desejosos de romper com sua hegemonia. Este aspecto de enfrentamento faz parte de uma luta muito mais ampla pelo pluralismo da informação e por uma verdadeira democratização da sociedade.
.
Original em L'Humanité